O AMOR REQUER PRESENÇA

março 06, 2017

amor love paixão busca do amor alegria felicidade vida a dois


Já amei muita gente. Em intensidade e maneiras diferentes. Algumas eu amei por um tempo maior, outras amei por minutos, o tempo de um café ou a duração de uma viagem de metrô. Mas em todos os meus casos de amor, fui sincero.

Para aqueles amores que tive a chance de viver, me dediquei a fim de prolongar o máximo possível a sua existência. Saboreei cada minutinho desses amores, criei memórias, construí histórias, agreguei profundidade, porque não sei amar na superficialidade. Não sei amar mais ou menos.

Comigo sempre foi assim, se amo me faço presente, porque ausência não cria laços. Ausência cria abismos e afasta quem devia estar perto. Saudades a gente tem daquilo que nos faz bem e não de algo que nunca vivemos. Então por isso, sempre me fiz presente. Me dedicando, me desdobrando em mil. 

Mas veja bem, nunca fui uma dessas pessoas que sufoca a outra com um amor que, mas parece doença. Meu caso nunca foi esse. Eu só não tenho vocação para ser uma pessoa rasa. Uma dessas pessoas que diz, eu te amo com a mesma banalidade que diz bom dia. Que hoje ama a Maria, amanhã não sabe mais se ama e semana que vem se diz perdidamente apaixonada por uma tal de Ana que surgiu sabe Deus de onde.  

O que eu sempre fiz com meus amores, foi tentar fazer com que fossem eternos. Eternos enquanto durassem.  



  • Share:

You Might Also Like

2comentários

  1. olá Jô!!!!
    texto maravilhoso, me identifiquei um tantão :)
    bjs

    cubo urbano

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, gata. Que bom que você se identificou. Nossa colaboradora vai amar saber isso.

      Excluir